Mangá: Deadman Wonderland vol. 1, o último lançamento da Panini

Deadman Wonderland, o mangá de Jinsei Kataoka e Kazuma Kondou, era muito aguardado pelos fãs, em parte porque já liam pela internet (foi lançado em 2007, publicado na Shonen Ace. Até o momento conta com 11 volumes), mas muito por conta do anime recentemente lançado no Japão, acredito eu. A notícia do lançamento pela Panini foi bem recebida, e com certeza será um sucesso. Mas… algo me incomoda nesse mangá. Parece que falta algo.

Pra você que não conhece: Ganta Igarashi é o seu protagonista colegial padrão, até o momento em que um misterioso homem de vermelho aparece em sua sala de aula e mata todos os seus colegas. Como apenas ele sobreviveu, Ganta é preso em flagrante por suspeita de ter assassinado a todos, e automaticamente sentenciado à pena de morte.

A Justiça Japonesa é um pouco mais rápida que a nossa.

Tóquio, aqui, passou por um grande terremoto, que devastou a cidade. Como parte dos esforços para sua restauração, a primeira Instituição Penal Privada / Parque de Diversões (que idéia…) foi fundada: Deadman Wonderland! Ganta, nosso herói, é levado para lá, para aguardar sua execução.

Não estou aqui para falar da qualidade da edição brasileira; vocês já sabem como é: papel jornal, nenhuma página colorida, acabamento um pouco mais caprichado da Panini, tudo isso (só uma curiosidade: esse mangá se passa no Japão, mas não me lembro dos tão importantes honoríficos nesta tradução).

Visualmente, Deadman Wonderland é exuberante. Um exemplo? Esta página:

Sabe quando a aula está tão chata que você quer, tipo, se matar?

Reparem nos corpos torcidos, no ângulo claustrofóbico (refletindo a angústia que a cena causa em Ganta), no detalhe dos dedos quebrados do garoto no chão. É provavelmente a cena mais marcante desse primeiro volume. Eu mesmo passei por essa página várias vezes, só para admirá-la.

Gosto muito também da presença do “Homem Vermelho” (chamado pela direção da prisão de Wretched Egg, algo como Ovo Deplorável).

Ovo Podre, talvez?

Infelizmente, procurando outras opiniões sobre este mangá, acabei vendo uma imagem que mostra quem é o Wretched Egg… Mas durante a leitura o mistério manteve-se, e é o mistério a razão do impacto deste personagem. Sua presença ameaçadora nasce da nossa total ignorância de qualquer detalhe do seu passado.

Mas quando cheguei ao plot em si, estranhamente, não pude deixar de comparar DW com outra obra, também publicada na Panini. Uma que eu gosto bastante. GANTZ.

Calma. Eu chego lá.

Ambos me parecem ter uma abordagem semelhante: são histórias sobre pessoas que, de repente, contra a sua vontade, são jogadas em um mundo absurdo, numa situação de vida ou morte tão inconcebível que o choque os paralisa. Eles não são culpados, nem fizeram nada para merecer tal punição. Mas, como não há escapatória, a única opção é abraçar as regras do jogo, usar todas as armas que tiverem à sua disposição (Ganta tem “poderes mágicos”), e lutar pela sua sobrevivência. São dois mangás que têm, a meu ver, como grande gancho para fisgar seus leitores, fazê-los perguntarem-se: se eu estivesse lá, o que EU faria?

Mas eu, pelo menos, vejo uma diferença fundamental entre os dois mangás, e a balança acaba pendendo para Gantz. O mangá de Hiroya Oku acerta ao deixar a situação neutra. Ninguém está errado, ninguém é culpado, mas isso não os torna pessoas boas. O absurdo da situação faz com que cada um reaja de uma forma, assim, Gantz serve como um grande laboratório para o autor testar personagens e suas diferentes perspectivas em situações limite. As possibilidades são imprevisíveis.

Já em Deadman Wonderland, Ganta é uma vítima. Mas ele não é só uma vítima. Ele é vítima demais. Acompanhem:

  • Seus amigos são todos assassinados na sua frente.
  • Ele é condenado à morte sem direito à defesa, pois é pivô de uma conspiração.
  • É manipulado por um dos únicos garotos que o acolhem na prisão.
  • É alvo dos bullies da prisão, quase morrendo no processo.
  • É forçado pelas circunstâncias a participar da corrida da morte, que tem sua periculosidade propositalmente aumentada POR SUA CAUSA.
  • Nada do que acontece a ele é por acaso. O mundo está, literalmente, contra ele.

Ganta estourou o contador de 'Narutos' de "coitadice" (Copyright ChuNan!)

Ganta é tão coitadinho que a leitura do mangá me fez criar certa rejeição ao personagem. Sim, eu sei, é lógico que ele vai chorar e se lamentar, e se perguntar “por que comigo?”, mas cansa. O mangá já decidiu por nós se devemos ou não gostar dele. Esse complexo de vítima de Ganta (ou seja: ele é super bonzinho e bem intencionado, mas, oh deus, olha o que a vida fez com ele!!!) parece ser a única característica que define o personagem. Ele não é imprevisível como os personagens de Gantz. Sua moral é muito bem definida, e nós sabemos que ele fará tudo que tiver ao seu alcance para sobreviver e proteger aqueles a sua volta.

Portanto podemos dizer que a luta pela sobrevivência é (ao lado da conspiração que move a trama – eu já chego lá) o tema que define este mangá, certo?

Errado.

Nós sabemos que a organização da prisão o quer vivo. Além disso, em situações de perigo, o poder que ele recebeu do Wretched Egg (o Ramo do Pecado) se ativa. Um poder, até o momento invencível, capaz de parar um prédio inteiro em queda livre. Ele inclusive apresenta sinais de já estar dominando o poder ao fim desta edição (e isso é um shounen – é ÓBVIO que ele vai dominar a técnica). Ou seja: a própria conspiração, que move as cordinhas da trama, em minha opinião, contribui para tirar a tensão do roteiro. Não temos a sensação de perigo, não sentimos risco de morte.

Portanto, se a tentativa era nos deixar fisgado pelo suspense da trama conspiratória da qual Ganta é vítima, pelo menos comigo, não funcionou. Não consegui sentir empatia pelo personagem o suficiente para me importar se ele vive ou morre, e, em último caso, eu SEI que ele não morre (OK, ele é personagem principal, é lógico que não vai morrer. Mas existem maneiras de nos fazer acreditar no contrário. Até o Goku morre, gente).

Então o que nos resta? Bom… pra quem gosta de O Albergue ou da série de filmes Premonição, Deadman Wonderland e seus corredores de lâminas, retalhando figurantes anônimos, é um prato cheio.

[Tivemos problemas com o upload do Video Quest desta semana. Estávamos testando o vídeo em HD, mas o YouTube, ao que parece, não aguentou o arquivo (somos bons demais para eles, hehe). Portanto, para não deixá-los na mão, adiantei este post que seria publicado na quarta, e O VIDEO QUEST ESTÁ ADIADO PARA QUARTA-FEIRA, DIA 7 DE SETEMBRO. Nos desculpem, e obrigado pela compreensão.]
 
Leia também:
No Elfen Lied Brasil, da Roberta Caroline, a @beta_blood: Shiro no País das Maravilhas – Bem-vindo a Deadman Wonderland
No MBB Anikenkai, do @didcart: DEADMAN WONDERLAND Vol. 1 – Sangue e Circo para o povo
No Chuva de Nanquim, texto do @DiH_KAL3S: Review: O Circo de Horrores de Deadman Wonderland 

Sobre Leonardo Kitsune

Um dos Criadores, Editor e alvo das críticas no Video Quest.

Publicado em 05/09/2011, em Coluna e marcado como , , , . Adicione o link aos favoritos. 45 Comentários.

  1. O mangá de Deadman Wonderland é bom, o problema (pra variar!) será a tradução feita. O mangá é cheio de palavrões e linguagens ofensivas, algo que será cortado pela PANINI

  2. Matheus G.

    Olha, achei muito legal o post sobre Deadman Wonderland, e realmente, concordo que é meio ruim esse negócio de “Ganta coitadinho”, pois não gosto de personagem principal bunda-mole (Ikari Shinji?), mas a diferença de DW é que o Ganta vai aprendendo a “virar homem” com o decorrer da história, tipo Hajime no Ippo, se você analisar bem, DW deixa tudo meio em aberto, então na verdade, não há muito como se definir algo sobre essa série logo no primeiro mangá. Eu digo isso porque eu acompanho o mangá e pretendo comprar a edição da Panini haha.

  3. Fábio Macieira

    Tenho que discordar de você em 1 ponto.
    ”Ele inclusive apresenta sinais de já estar dominando o poder ao fim desta edição”
    Até o final da edição ele não domina ”esse poder”.

  4. Achei o mangá de Deadman Wonderland interessante. Sim, Ganta é bonzinho e sente peso na consciência como muito de nós. Ok, ainda bem. Acho legal que exista um personagem normal no meio de tanta loucura.

    Sobre a narrativa, bem, eu curti. Na verdade, grande parte do mangá me surpreendeu, inclusive os traços e o roteiro. Essa combinação de pontos positivos faz com que eu me prenda ao mangá – e sério, ultimamente isso não tem acontecido com muita frequência. Por exemplo, eu não gostei tanto de Bakuman, mas adorei Deadman Wonderland :P

    Kitsune, curti muito o post! Continue a escrever sempre que puder. Grande beijo e até sábado :D

  5. Fábio Macieira

    A Jacqueline Alves tirou as palavras da minha da minha boca.

  6. Se bem que mesmo em Gantz o Kurono acaba virando heroizinho da historia, mas aí a questão já é outra.
    Nesse quesito de vitima sendo controlada por sistema, acho que DW me faz lembrar mais Battle Royale, mas com um universo um pouco maior obviamente.

  7. Gantz força um pouco a barra, mas eu gosto. Battle Royale mexe com a parte política da sociedade assim como Deadman Wonderland – afinal, a existência dessa penitenciária que usa e abusa dos detentos como se fossem porcaria (mesmo sendo criminosos, aquilo é pura carnificina, ninguém merece aquilo, na boa) é bem parecida com o “jogo” de BR, que coloca os “alunos jogadores” forçadamente dentro de uma ilha, onde cada um precisa fazer vale a própria vida tirando a do colega de classe… chega a ser absurdo, mas não deixa de ser interessante.

  8. matheus braga da silva

    eu assisti esse anime e na minha opinião ele é d+

    eu sinto muita dó do perssonagem, é ke tipo… ele ta na pena de morte sem ter feito nada!!
    o ovo maldito que no caso é o homem de vermelho (pelomenos no site ke eu baxei tava assim) simplismente atacou a sala e se prestar atenção pode ser até ke ja estivesse atraz do ganta. como tmb talvez n.
    mas em fim. ele mata todods da classe e da os ramos do pecado para o ganta mas tipo ainda fica esse ar de por que??
    e tmb o ganta n é o unico com os ramos do pecado. existem muitos outros com os ”poderes magicos”.

    n aguentei e dei um poko da minha opinião.

    espero anciosamente pelo video ja ke isso é só uma prévia. vamos debater sobre uma das melhores coisas no mundo.
    não a melhor pq rock, games e mulheres ainda estão na lista dos melhores ^^

    • matheus braga da silva

      eskeci de comentar sobre a linguagem

      palavrões é uma coisa ótima em um anime de violencia

      tenta imagina a mierda ke seria se esse anime fosse sem palavrões.
      nem da pra imagina direito mas imaginem

      dois cara lutando e os ”policiais” da prisão tipo jogam o ganta ou o corvo com tudo na parece e em vez de ele falar ”seu filho da puta!! vc me paga!!”
      ele falasse “seu troço!! vc vai ver”
      ia ser ridiculo –.– os palavrões dão um mega ar de ação durante as batalhas. torna ela + emocionantes e legais ^^

  9. Cara li a sua resenha e achei tão cansativa quanto o respectivo mangá alvo de sua análise.
    Parece que quando você escreveu a resenha havia um conglomerado de criticas e informações na sua mente que não possibilitou com que você pudesse passar isso plenamente para a resenha.

    Faltou muita estruturação no seu texto. As criticas que você expõe são válidas, mas chega a determinado ponto que começam a ficar demasiadamente cansativas, pois você fica o texto inteiro no mesmo foco central ao invés de partir para uma critica para com outros personagens por exemplo, eu sei que é uma opinião e respeito esta já que se trata de uma resenha, mas pelo fato de ficar cansativa a sua explicação me pareceu bem tendenciosa sua resenha assim como as comparações. As comparações com obras cinematográficas como o “Albergue” produzido por Quantin Tarantino são totalmente dispensáveis.

    Vou traçar um paralelo, o mangá de Monster de inicio não tem nada de tensão, mas de inicio já cativa assim como DMWL e ao longo dos capítulos vai desenvolvendo esses aspectos de forma mais competente.

    De resto parabéns pelo VideoQuest e pelo blog que está muito bonito. E para finalizar deixo uma opinião, acho que você deveria ser mais versátil em seus textos para não cair na repetição.

    Grande abraço tudo de bom.

    • Bem sacado essa sua comparação com Monster.
      Por ser obra já conhecida, sabemos de certos detalhes e qualidades da história, no caso a tensão. Entretanto, ler já esperando todo o conjunto de emoções que são construídas ao longo da história desde o início é um erro imenso de julgamento.

      Aquele mantra de “se o primeiro volume não me agradou, posso dispensar” nem sempre é uma escolha sábia.

  10. Saudações

    Deadman Wonderland não é um título que esteja em minha prioridades para se assistir ou ler. No caso em específico (o mangá), gostei da premissa lançada…

    Entretanto, gostar da premissa não significa, necessariamente, a compra certa deste mangá.

    Mas tenha certeza de que seu texto ficou muito bom, Kitsune.

    Até mais!

  11. Olá, é a primeira vez que comento aqui.
    Meu nome é Aline, tenho 20 anos e sou do RJ.
    Eu assisto o VQ sempre que posso, mas nunca tive coragem de comentar.

    Bom, assisti DW e li o mangá, mas assim como você, eu também não gostei do personagem principal, exatamente por ele ser um pobre coitado ao extremo.
    Um dos personagens que eu mais gosto é o Corvo, não sei até onde você leu, mas quando mostra o mundo dele antes da DW, ele se torna impressionante. Eu até consigo ver uma crítica à polícia.
    Apesar de ser meu personagem favorito, não consigo deixar de associá-lo ao Zaraki Kenpachi de Bleach, não que eu não goste do Zaraki, mas isso faz com que eu perceba que o Corvo não é tão original quanto poderia ser. O papel principal dele é ser o personagem que está ali para mostrar o quão insignificante e fraco o Ganta é. Além disso ele se torna o treinador dele mais pra frente, assim como o Zaraki “treina” o Ichigo durante sua luta na Soul Society, nem vou comentar sobre a derrota dele no Carnaval de Corpos.
    Outro detalhe, quando eu li o mangá,, por mais que o capítulo fosse violento e dinâmico, senti como se estivesse lendo algo parado e monótono, como se não tivesse mais nada além da lamentação do Ganta por que todos os seus amigos morreram.
    Pode não parecer, mas eu gostei DW.
    Bom, não vou me estender mais.
    Espero não ter falado besteira.
    o/

  12. Eu particularmente acompanho o manga desde 2007, quando foi lançado na falecida OneManga. Os gêneros que compõem o manga são todos bem explorados, tem muitos, mas muitos mesmo, personagens carismáticos e também filhos da puta; mas afinal, quem não gosta de uma duzia de personagem fdp porque quer né?

    O primeiro volume de DW é empolgante, sim, mas não é MESMO o que a série tem pra mostrar.

    Fico com pena de quem nunca leu e ter procurado quem é o Egg, já que esse é o maior spoiler da série.
    Recomendo fortemente que comprem, a leitura é boa, vale até por alguma expectativa na série, ela tem naipe pra isso.

  13. Confesso que acho esse negócio de prisão/parque de diversões bem galhofa!

    “Vou traçar um paralelo, o mangá de Monster de inicio não tem nada de tensão, mas de inicio já cativa assim como DMWL e ao longo dos capítulos vai desenvolvendo esses aspectos de forma mais competente.”

    Não amigo, não compare uma obra prima feito Monter com Deadman Wonderland.

  14. Lucas Firmino

    Eu achei que DW aborda bastante o sentido de “injustiça” frente a problemas como esses. Como foi dito, ele da esse ar de “o que eu faria se estivesse lá” é uma forma interessante de envolver o leitor. Eu confesso que senti um grande sentimento de raiva e pena do protagonista, logo no começo da história…

  15. Sendo sincero, odiei essa porcaria de anime(apenas assistir o anime, e nao tenho a minima vontade de ler o manga). Desculpe aos q gostaram, mas o personagem principal é um lixo, um extremo pobre coitado é muito monotono e chato essa praga do Ganta ficar chorando pelos cantos pela injustiça q ele sofreu. No lugar onde a historia se passa tem uma luta ate a morte q ninguem morre, a fala serio ne?! Eu nao sabia q o cara q queria matar ele acaba virando o treinador dele(o corvo), sinceramente, vc esta na prisao amigo, esta treinando o cara pq? Compaixao?

    “Acho legal que exista um personagem normal no meio de tanta loucura.” a trama se passa numa prisao q so tem condenados no corredor da morte, uma pessoa normal num lugar desse é muito irritante.

    Minha opiniao é simples: Personagem principal lixo e sem personalidade=anime/manga lixo.

    Oq eu sinti desse anime é q o autor procurou uma desculpa para mostrar muito sangue e uma injustiça colossal, nao vejo nada de concreto no q eu vi.

    Aos q gostam, mais uma vez me desculpe, é opiniao pessoal.

    Mas falando de alguma coisa boa, otimo texto Leonardo.
    Abraço.

  16. Olá! Meu nome é Rafael Campos, tenho 20 anos e sou de Fortaleza-CE.

    Conheci o Video Quest no último final de semana, enquanto tentava passar o tempo no youtube na falta de algo melhor para fazer.

    Quero parabenizar vocês por cumprirem muito bem o que entendi ser a proposta do videocast, comentar animês e mangás de forma inteligente, irreverente e com uma intenção de parecer algo descompromissado.

    Quanto a Deadman Wonderland, li boa parte do mangá há um bom tempo, parei no que seria o início do terceiro arco (sem maiores detalhes para evitar spoilers). E, o que posso dizer? Não senti falta, simples assim. Não considerei uma obra que acrescente algo, pelo menos para mim. Não tive como não pensar em uma linha editorial pré-estabeleciada, e, particularmente, perco boa parte do interesse quando tenho essa impressão de forma tão explícita. Apesar de saber que no fim das contas quase todos seguem a mesma linha que varia dependendo do gênero, há ferramentas que o autor pode lançar mão para disfarçar um pouco e te envolver mais na história. De qualquer forma, gostei do traço.

    Fiquei curioso com o tema do próximo Video Quest. Então, até amanhã!

    Ah, dica pra quem gosta de animês em presídios: Dead Leaves (essencial para quem gostou de FLCL)

  17. Samuel Farias

    Concordo plenamente com o Luciano Villanueva, é triste quando se ve, (principalmente em um anime onde se tem poucos episodios/volumes), praticamente 90% do tempo gasto em IBOPE ( Violencia sem explicação, Apelo sexual, etc), quando não se tem nem ao menos uma história com um bom alicerçe.

    A proposito, história bem contraditória a ela mesma em varios pontos (sem spoilers dessa vez então eu paro por aqui…)

    Não sou contra Violencia, cresci vendo o Hiei matando seus adversários sem dó.
    Mas violencia, sem nem ao menos uma explicação fajuta, pra mim é o cumulo de personagens e histórias supérfulas.

    Pra finalizar, não suporto o fato de que, a idéia em si, não é ruim, se asemelha muito com o filme : O Sobrevivente – Com Arnold Schwarzenegger (1987).
    O meu maior problema com ele, é que ele prefere jogar a violencia ali, apelar para ter publico, e não trazer NADA para seus espectadores, até mesmo o apelo é feito por apelo, sem nenhuma finalidade na minha opnião.

  18. Não estou aqui para falar da qualidade da edição brasileira; vocês já sabem como é: papel jornal, nenhuma página colorida, acabamento um pouco mais caprichado da Panini, tudo isso

    Cara isso foi mt infeliz,a versão tanko ñ tem msm págs coloridas ‘-‘

  19. Saudações pessoal do Video Quest!

    Comprei esse mangá semana passada e li o primeiro capítulo no mesmo dia. Acredito que este primeiro capítulo de DW seja o melhor do primeiro volume, já que me deixou louco pra continuar lendo, mesmo que eu já tivesse visto o primeiro episódio do anime, no entanto com os outros não foi assim. Quanto a análise do Kitsune, concordo em alguns pontos e descordo em outros. Acho que realmente o ganta ainda não me passou uma presença forte como protagonista. Ele choraminga demais, e é muito ingênuo, mas tenho esperanças de que isso pode mudar nos próximos capítulos.

    No entanto, concordo com o comentário do Panino: “Aquele mantra de “se o primeiro volume não me agradou, posso dispensar” nem sempre é uma escolha sábia.”

    Acho que não dá pra perder as esperanças ainda. A comparação com Gantz é até covardia! Gantz é um dos melhores mangás que eu conheço, definitivamente, mas a história só fica interessante mesmo depois do capítulo 15, 16. E no início, Kei é praticamente insuportável (embora tenha personalidade).

    Se quiserem conferir uma opinião diferente, entrem no blog que divido com um amigo:
    http://caldeiraofuradoplus.blogspot.com/2011/09/manga-resenha-deadman-wonderland.html
    Adoraríamos receber umas visitas do pessoal do VQ por lá, e de toda a galera que os acompanha.
    Até mais!
    P.S. O blog tá ficando mesmo muito bonito, bem melhor que o antigo.

  20. Muito bom post, parabens Kitsune!
    Me interessei muito pela idéia do mangá de Deadman Wonderland, acho que dava pra fazer algo realmente bom com ela…mas, pra mim, o autor realmente cagou(desculpem-me pela expressão) na trama!
    Ele conseguiu estragar uma idéia promissora e transformar ela numa história infantil(apesar do sangue e das mortes) por ter uma trama boba, fraca e de difícil apego por parte do leitor…Dá uma impressão de que o mangá foi feito as pressas, como se eles tivessem aquela idéia inicial e o resto fosse simplesmente jogado…na verdade eles até tem um objetivo, mas oque acontece antes dele ser alcançado eh mal planejado.

    • Com isso me refiro ao decorrer do mangá, que li pela internet…o início realmente empolga, mas depois só vai piorando e oque resta são as cenas bem feitas e as mortes “interessantes”

      • Ah! e esqueci de falar que o fato do personagem principal ter apenas 14 anos eh um pouco estranho neh…O.o
        E que Gantz, realmente, bate DW de longe…

        Ha…acabei tendo que quotar 2 vezes por esquecer de mencionar algo! =X
        flooder!!!

  21. Fassão um video direito do anime :B , eu gostei do anime e do mangá apesar de ter opiniões diversas pra mim fico muito bem dublado o anime pois transmite a emoção no decorrer e eu vou comprar esse primeiro volume pois eu adoro deadman wonderland e um anime viciante pra quem gosta disso.
    Gantz tbm é bom eu acompanho mas não se compara a deadman wonderland.

  22. Bem, a série até parece ser bem interessante mas visto que colocas de uma perspectiva tão negativa fico a pensar se valerá a pena ler. Embora nem que seja pelas cenas sangrentas, aquela página em que mostra ele sozinho rodeado pelos seus colegas mortos é muito boa!
    Vou tentar dar uma vista de olhos, mas terei atenção que fui avisada. Em todo o caso, agradeço ao Video Quest por divulgar series que geralmente não têm tanta atenção. Espero que o vídeo consiga sair sem problemas na quarta feira.

  23. Deadman é uma história que não deixa de lado a realidade, mesmo de certa forma sendo tão surreal, e isso me interessou, claro um monstro q faz maravilhas com o sangue é extremamente surreal, mas esse lado de “coitadinho” dele, é o que certamente aconteceria com uma criança, posta em uma situação como essa, se quando vc diz que é exagerado, vc está errado.
    Ele não tem/tinha maturidade para decidir o que ele tem que fazer, obviamente o anime poderia ter avançado um pouco mais, porque o mangá está “joinha”… A coisa mais real, que podia ter acontecido com o Ganta, era ele ter ficado louco ou cometido suicídio. Mas esse lado chorão faz parte do lado criança, no qual ele é.
    Já na prisão ai sim a coisa fica realmente absurda, personagens loucos aparecem, o que deixa o surrealismo mais surreal (?). Realmente não a nenhuma sensação de perigo e etc e tal, o que tira uma boa parte do drama da trama. Mas ainda assim é muito legal assisti-lá, pois “surpresas” acontecem, mesmo com noção que o personagem principal não irá morrer, os secundários, já não podemos falar o mesmo. Por fim Deadman é um mangá/anime muito bom de ler e ver, mesmo tendo tanta surrealidade, vc consegue se imaginar no lugar de Ganta, sem qualquer problema, e isso é cool xD (não sabia mais o que falar)

  24. Samuel Farias

    Não dá pra comparar reações reais, num mundo dirigido pelo Coitadismo do Personagem.
    Se o anime tenta passar realidade, e ele tem 14 anos, Coloca-lo no corredor da morte, com adultos, homens e mulheres, já não é real.
    A história parece que corre como lhe da na telha, ora querem ele morto, ora não querem, sem contas a falta de existencia do mundo fora do redor do protagonista.
    SPOILER

    {E se n me falta a memoria nem Pais ele tem, ele é orfão? filho de chocadeira? foi um

    clone do Dr. Evil? Não lembro de nada ser mencionado, ou seja a realidade pode ser proxima a nossa, mas é manipulada ao bel prazer do “isso não é importante, mostra sangue ae que ta bão!}

    • Samuel Farias

      Ps. Desculpe pelo spoiler a mostra, axei que codigo html funcionava no wordpress.

    • Eu comparei uma coisa, que me irritava em qualquer anime, uma criança que invés de chorar levanta a cabeça e mata todo mundo, aqui já é diferente, um pouco mais de realismo, ou seja eu gostei do fato do coitadinho, por mostrar que ele ainda é uma criança de 14 (14 né?) anos… Não disse que todos os outros fatos eram reais… E nos EUA mais de uma criança com essa faixa etária foi parar no corredor da morte, ou seja esse seu exemplo não foi dos melhores.

    • Cara, não é bem assim, a historia não corre como der na telha.E não é que uma hora querem ele morto e outra hora não querem, como eu disse antes os acidentes que provocam para mata-lo são testes para ver se ele possui realmente os ramos do pecado, e o pensamento deles é “se ele tem os ramos vai sobreviver, se não tem, vai morrer” e agora que confirmaram q ele tem os ramos o chefe da DW quer ele vivo,simples assim. E sim, ele tem PAI, que não aparece na história ( só é mencionado ) pelo próprio Ganta no inicio do volume um, e em questão da mãe , sim, ele tambem tem, ela aparece tocando piano nas primeiras paginas do mangá e bem mais tarde é revelado que ela teve um papel importante na história, mas, eu não vou falar nada porque já é spoiler demais.E a historia só esta muito focada no Ganta porque ele até agora foio único dos principais que foi revelado e não tem muita coisa da trama revelada támbem.
      Bem espero que tenha esclarecido as coisas, até a próxima.

  25. William95_lol

    Muito bom o post =D – Novo blog do VQ tá vindo com tudo em XD – Boa sorte pra vocês

    Flwss õ/

  26. André Pereira

    Pra mim Deadman tem um visual fodástico tanto o anime quanto o mangá, mas para por aí, porque tem os vilões muito escancarados e personagens muito previsíveis, como quase todo shounen.
    Falaram de Gantz, mas acho Berserk um mangá pra tomar como referência também em termos de complexidade de personagens e situações que nos fazem pensar. Eu pessoalmente prefiro Berserk a Gantz por 2 motivos principais: não curto esses negócios futuristas, quase morro de tédio; e principalmente a diferença entre os “protagonistas”, já que
    o Gatts é simplesmente um doido mas é foda, e o cara de Gantz é um baita de um BUNDÃO
    sem graça nenhuma.

    • o cara do GANTZ nao eh um bundao…ele eh simplesmente um cara completamente normal que nao esperava que ia morrer e aparecer numa sala e sair matando alienigenas…qualquer pessoa reagiria d uma forma no minimo assustada…A diferença do Kurono eh q ele ao longo do anime vai percebendo o quao fudida eh a situação dele, e com isso ele vai tomando atitudes e akba virando o caçador de aliens mais phoda do japao….

  27. Gostei do post XD,diferente de vc eu até gosto do Ganta ,eu gostei bastante da comparação com Gantz.
    Uma ultima coisa vcs vão mesmo falar mal da TYPE-Moon?

  28. Cara, eu não concordo muito na parte do “Não temos a sensação de perigo, não sentimos risco de morte.” pois o que acontece ali, dos acidentes q a organização provoca na verdede são para confirmar se o personagem realmente possui o “ramo do pecado”, e o que eles fazem é para matar mesmo. Eles fazem isso com o pensamento ” se ele realmente tem o ramo do pecado ele irá sobreviver ,não precisamos nos preocupar , mas se ele não tiver esse poder ele vai morrer e não estamos nem ai para isso.” isso é mostrado no primeiro acidente que ele sofreu ( o que uma parte do prédio cai em cima dele) naquilo a intenção da organização foi tentar mata-lo ( mas esperando que ele tivesse os poderes e sobrevivesse) e até aquela hora só havia sido revelado que o Ganta estava marcado para morrer aquela hora , então , naquela hora temos sim a sensação de perigo e de risco de morte e nos próximos volumes quando você lê-los vc terá esta sensação também.

    Falando em próximos volumes aquilo que você falou dele começar a dominar os poderes no final do volume um ( acho que vou dar um spoiler ) ,bem não era bem isso que aconteceu, aquilo se não me engano foi somente uma reação do núcleo dos poderes dele ao entrar em contato com o original ( estou tentando falar de modo que não de muitos spoilers, evitando utiliza nomes e termos da historia que ainda não foram mencionados) ele só vai realmente aprender como se usa os ramos um pouco mais tarde e só vai DOMINAR mesmo bem mais tarde ( vou parar de falar se não vão me linchar por causa de spoilers).
    Bem, era isso que eu queria dizer , excelente critica eu gostei .Tente fazer uma nova critica quando a história já estiver mais na avançada aqui no Brasil para dizer se a história evoluiu bem e verificar mudanças boas e ruins da historia. valeu eu vou indo.

  29. DW acho que foi o segundo anime que mais gostei esse ano, mesmo com ele sendo bem raso comparado ao manga, mas ao ver ele por si só é bom. Ele pra mim fica só atrás de Steins;Gate, que não é apenas o melhor deste ano, como um dos meus favoritos de todos tempos. =)

    Quem sabe eu compro esse volume.

  30. Bom, não farei muita delonga, mas gostei sim de Deadman Wonderland. Não cheguei a ler todos os comentários, mas não vi o que eu senti. Senti que DW seria um segundo Elfen Lied, tirando o fato das idades dos personagens, pois, nele há uma organização envolvida, há um suposto demônio central e suas sub-criações. Admito que o personagem principal me irrita por sofrer demais, mas, convenhamos, este é um mundo novo pra ele… e ele estava numa área da prisão e foi parar na outra, que ai sim piora e MORREM SIM, muita gente.

    Era isso, recomendo e gostei sim, tirando uma bobeirinha aqui ou ali… quero ver a continuação do anime e se eu conseguir, ler o mangá. Abrs.

  31. Depois esse ar de “Ganta o coitadinho” vai mudando um pouco. Muito embora, eu já tenho pego nojo pelo personagem. Concordo completamente com o texto.

  1. Pingback: Anikenkai - Anime Kenkyuukai

  2. Pingback: Review – O circo dos horrores de Deadman Wonderland! | Chuva de nanquim

  3. Pingback: Deadman Wonderland – Editora Panini |

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: